Matérias em Destaque

Extorsão Indígena Extorsão indígena 7 de abril de 2019 Eugenio Trujillo Villegas* O sudoeste da Colômbia continua inexplicavelmente paralisado, situação que persiste há quase um mês. O exército, a polícia,...

Leia mais...

Anemia do abril vermelho Anemia do abril vermelho  Péricles Capanema  Desde 1997 o MST promove o abril vermelho. Financiado com dinheiro público, o gigantesco show de agitações reclamou sempre a radicalização da reforma...

Leia mais...

Ponto Fora da Curva Péricles Capanema Virou coringa a expressão “ponto fora da curva”, tem sido empregada nas mais diferentes acepções. Umas lisonjeiras; outras, nem tanto, envolvem censura, às vezes até carregam...

Leia mais...

Mortes por “overdose” de drogas nos Estados Unidos:... PLD em Foco Coronel Paes de Lira comenta Mortes por “overdose” de drogas nos Estados Unidos: chacina crescente, sem pólvora e sem projéteis https://www.youtube.com/watch?v=swxJ0Chsjdg&feature=push-sd&attr_tag=4rWs0VLrNgvjvcqb%3A6

Leia mais...

Projetos de lei sobre armas e legítima defesa, plenos... PLD em Foco Coronel Paes de Lira comenta Publicado em 28 de mar de 2019 Projetos de lei sobre armas e legítima defesa, plenos de boas intenções, padecem de enganos graves. https://www.youtube.com/watch?v=ai71hGHhzmY  

Leia mais...

  • Anterior
  • Proximo

Colômbia-FARC-Cuba: conversações de “paz” e teatro do absurdo

Publicado em: 19-12-2012 | Por: bidueira | Em: Política Internacional

0

Colômbia-FARC-Cuba: conversações de “paz” e teatro do absurdo
 
Destaque Internacional
 
Desde o palco montado em Havana, chefe narco-guerrilheiro “Timochenko” declara, afrontando cruelmente a verdade histórica, que a paz sempre foi uma “nobre aspiração” das FARC
 
1. As conversações de “paz” oferecidas pelo governo colombiano às cruéis narco-guerrilhas FARC, que se desenvolvem no palco oferecido por Havana, parecem-se mais a um roteiro do “teatro do absurdo”. Às narco-guerrilhas desprestigiadas e dizimadas depois de décadas de crimes, de repente lhes servem em bandeja a oportunidade de uma diálogo de “paz” que é diametralmente o contrário do que estiveram fazendo desde décadas, ou seja, semear o ódio através de dezenas de milhares de seqüestros e assassinatos, e promover o desmembramento revolucionário da Colômbia.
 
2. Trata-se de um diálogo de “paz” que outorgará aos narco-guerrilheiros um longo período de meses de sossego diplomático, para que sarem feridas, se reorganizem e façam abundante publicidade gratuita, tendo à disposição generosos microfones e câmeras do mundo inteiro. É um diálogo de “paz” que se leva a cabo nada mais, nada menos que em Havana, a alcova e refúgio de todos os lobos revolucionários latino-americanos.
 
3. Que nos conste, pouco ou nada explicaram as autoridades de Bogotá sobre o papel de Havana no apadrinhamento e promoção desse diálogo de “paz”, um silêncio que se transforma em uma incógnita. Há alguns meses, antes da Cúpula das Américas celebrada em abril pp. em Cartagena de Indias, chamou a atenção o esforço diplomático inusitado do presidente Santos, da Colômbia, para promover a presença de Cuba comunista na referida reunião internacional, incluindo uma viagem a Havana, antes da Cúpula, para se reunir com o ditador Raúl Castro. Santos também manteve contatos paralelos com o presidente Chávez da Venezuela, importante mantenedor financeiro do regime de Havana. Esse inusitado esforço diplomático pró-cubano do presidente Santos, terá sido uma moeda de troca relacionada com a “paz” que se preparava com a narco-guerrilha?
 
4. As FARC não perdem tempo e estão aproveitando publicitariamente, o máximo possível, a oportunidade oferecida em bandeja pelo presidente Santos. Desde o palco montado em Havana, o chefe narco-guerrilheiro “Timochenko” acaba de declarar, afrontando da maneira mais brutal a verdade histórica, que a paz sempre foi uma “nobre aspiração” que a narco-guerrilha colombiana supostamente defenderia “desde há já meio século”.
 
5. Em boa medida, o futuro da Colômbia está nas mãos dos próprios colombianos, que se encontram diante do dilema de aceitar ou não os cantos de sereia dos narco-guerrilheiros. Afortunadamente, até o momento essas conversações de “paz” não cheiram bem para a maioria dos colombianos, segundo as mais recentes pesquisas de opinião divulgadas em fins de novembro pelos institutos de pesquisas Datexco e Ipsos Napoleón Franco. Os resultados de ambos institutos mostram uma queda de popularidade do presidente Santos, por causa desse inusitado diálogo incondicional com os narco-guerrilheiros.
 
6. Ganha enorme atualidade, neste momento histórico, o livro “Colombia: nunca más bajo el imperio del caos – Un análisis de 20 años de guerra subversiva y de capitulaciones inaceptables”, editado em 2007 por Tradición y Acción, que oferecemos gratuitamente aos leitores das Américas em formato PDF. Esse livro mostra, passo a passo, os mecanismos de psicologia social usados pelas esquerdas colombianas para transformar durante anos esse país em um literal “laboratório do caos”. Um livro que é, ao mesmo tempo, um diagnóstico e um antídoto para que essa tragédia não volte a se repetir.
 
Para receber gratuitamente por e-mail o referido livro, em formato PDF, por favor, envie e-mail a: destaque2016@gmail.com. Também pode enviar sua valiosa opinião, ou solicitar para não receber nossas mensagens, ao mesmo e-mail.
 
Destaque Internacional – Ano XIV – nº 370 – 05 de dezembro de 2012. Editorial interativo. Responsável: Javier González. São bem-vindas sugestões, opiniões e críticas. E-mail: destaque2016@gmail.com. O presente texto pode ser difundido livremente, inclusive sem citar a fonte. No próximo Natal celebraremos 15 anos de Destaque Internacional.
 
Tradução: Graça Salgueiro

Deixe um Comentário!