Matérias em Destaque

Nunes Marques interrompe, mediante pedido de vista,... PLD em Foco Cel. Paes de Lira comenta https://www.youtube.com/watch?v=olvwMBxeUU8 Nunes Marques interrompe, mediante pedido de vista, as principais ações antiarmas em curso no STF

Leia mais...

Mais um projeto de lei equivocado para modificar o... Pela Legitima Defesa Cel. Paes de lira comenta https://www.youtube.com/watch?v=tSzpv6N5ui8

Leia mais...

Idoso defende o lar e repele roubo. Enquanto isso,... PLD em foco Cel. Pes de Lira comenta https://www.youtube.com/watch?v=OP81V6lfdCQ

Leia mais...

Entram em vigor (ou não!?) novos decretos regulamentadores... Pela Legitima Defesa em Foco Cel. Paes de Lira comenta https://www.pelalegitimadefesa.org.br/npld/

Leia mais...

Voto de semideus não surpreende, embora nos indigne:... PLD em Foco Cel. Paes de Lira comenta https://www.youtube.com/watch?v=hQLuF6YRL4I Voto de semideus não surpreende, embora nos indigne: é o mecanismo de anulação do Executivo em ação

Leia mais...

  • Anterior
  • Proximo

A SOLU????O MOLECA

Publicado em: 15-02-2017 | Por: bidueira | Em: Seguran??a P??blica, SITUA????O NACIONAL, Terrorismo

0

Di??rio do Com??rcio

S??O PAULO, 14 DE FEVEREIRO de 2017
S??rgio Paulo Muniz Costa
Jamais houve tanta tropa das For??as Armadas nas ruas e a popula????o ordeira est?? mais assustada do que nunca, n??o com elas, como ali??s nunca esteve, mas sim com o crime e a viol??ncia que n??o param de crescer no Pa??s

George Bush inventou a guerra preventiva e Pez??o sacou a greve preventiva. Faceiro, ontem o governador do Rio de Janeiro anunciou o emprego do que n??o ?? seu, as For??as Armadas, para resolver o problema que ?? seu, a Seguran??a P??blica.

Podia ter ficado por a?? a esperteza que vai fazendo escola no Pa??s: passar a bola ??dos problemas que n??o se quer resolver.

Mas parece que at?? essa pr??tica sem vergonha piorou. Agora a bola da seguran??a p??blica ?? passada por quem n??o tem a menor intimidade com ela, o Ministro da Defesa, sinal de que tudo est?? mesmo virado ao avesso.

E com direito a piruetas ficcionais, aludindo ele a uma ???normalidade institucional???, contrastada com o regime militar que supostamente assustava o povo nas ruas com tropas do Ex??rcito.

Resta saber que normalidade ?? essa, quando o Ministro da Defesa faz seguidos pronunciamentos sobre problemas que n??o s??o de sua compet??ncia, os quais, exatamente por isso, s?? se agravam.

Jamais houve tanta tropa das For??as Armadas nas ruas e a popula????o ordeira est?? mais assustada do que nunca, n??o com elas, como ali??s nunca esteve, mas sim com o crime e a viol??ncia que, entre uma cena teatral e outra do governo, n??o param de crescer no Pa??s. O palanque eleitoral continua armado, independentemente do calend??rio.

Mas h?? que se reconhecer que a solu????o do Pez??o ?? fant??stica. Com ela, o governo estadual afasta o risco imediato de mais uma crise, desta vez ?? semelhan??a do Esp??rito Santo.

O federal fica aliviado por n??o ter que dividir mais uma com um estado falido, n??o importa se financeira ou moralmente, ou os dois.

E os policiais pr??-grevistas recebem sinal verde para faturar por fora na seguran??a dos eventos de Carnaval com as horas de folga ca??das do c??u.

Mais uma malandragem que resolve o problema dos incompetentes, mas n??o os do Pa??s.

Enquanto isso, outra f??rmula tamb??m vai dando certo, a do caos, expresso em acontecimentos cada vez mais inacredit??veis.

Tantos, sucedendo-se em tamanha velocidade, que v??o sendo banalizados, esquecidos na supera????o de um absurdo por outro, a cada dia, a cada semana.

Massacres em pres??dios, ruas esvaziadas pelo toque de recolher do crime, pol??cias amotinadas, ??nibus queimados a torto e a direito e um sem n??mero de preju??zos ?? sociedade. Semanas atr??s no Norte e Nordeste; ontem em Vit??ria; hoje em Belo Horizonte; amanh??, o que? Aonde?

Nesta roleta do caos, por enquanto, s?? uma certeza: a da solu????o moleca.

********
As opini??es expressas em artigos s??o de exclusiva responsabilidade dos autores e n??o coincidem, necessariamente, com as do Di??rio do Com??rcio

Os comentários estão fechados.