Matérias em Destaque

Futuro secretário nacional de segurança, Gen Theophilo:... PLD em Foco Coronel Paes de Lira comenta Futuro secretário nacional de segurança, Gen Theophilo: contra o porte de armas por pessoas comuns https://www.youtube.com/watch?v=94QwCOiXjZ0&feature=em-uploademail

Leia mais...

EM DESMANCHE Artigo do jornalista J.R. Guzzo, publicado na revista  VEJA, com o título EM DESMANCHE Circulou no noticiário um pensamento muito interessante que o novo presidente, Jair Bolsonaro, expressou durante...

Leia mais...

Autor do PDS(SF) 175/2017, retira projeto e acerta. PLD em Foco Coronel Paes de Lira comenta Autor do PDS(SF) 175/2017, retira projeto e acerta. Diretor-Geral da PF impõe ato normativo e erra https://www.youtube.com/watch?v=4qVAX0Cgg4k&feature=em-uploademail

Leia mais...

TEMPESTADE À VISTA Tempestade à vistaPéricles CapanemaEm 1º de novembro o China Daily, jornal estatal, em página editorial sobre as eleições no Brasil advertiu: “Não há dúvida que os interesses nacionais têm...

Leia mais...

Vitória política trouxe mudança favorável. Às... PLD em Foco Coronel Paes de Lira comenta Vitória política trouxe mudança favorável. Às urnas, em segundo turno, pelo Direito e pelo Brasil. https://www.youtube.com/watch?v=hBit8WqQ1II&feature=push-u-sub&attr_tag=lqywduD41bzzqGcY%3A6

Leia mais...

  • Anterior
  • Proximo

NUMA IDA À PADARIA, QUATRO BANDIDOS, MUITAS FACADAS

Publicado em: 23-12-2017 | Por: bidueira | Em: Desarmamento, PLD em Foco, PT, Segurança Pública, SITUAÇÃO NACIONAL

0

NUMA IDA À PADARIA, QUATRO BANDIDOS, MUITAS FACADAS

por Percival Puggina. Artigo publicado em 14.12.2017

Embrenhou-se na selva porto-alegrense para a arrojada tarefa de comprar pão na padaria da esquina. Saiu desarmado, como manda a imprudente lei. E não voltou para casa. O professor foi dali para o hospital, com múltiplas facadas desferidas, simultaneamente, por quatro homicidas que fugiram levando algum troco e um celular. Desde sábado está entre a vida e a morte.

Não preciso da investigação para saber que as quatro bestas humanas têm uma ficha criminal mais comprida do que a tolerância da legislação brasileira. Ninguém ingressa no banditismo atacando um idoso a facadas em rua central da cidade. Não, esses monstros receberam da lei penal, do sistema penitenciário, dos “direitos humanos”, dos filósofos e dos aplicadores do garantismo penal, dos partidos de esquerda adversários declarados da atividade policial, todo o tempo e toda a indulgência necessários para se desenvolverem em suas carreiras. São apenas quatro entre centenas de milhares que respondem por milhões de furtos e roubos, notificados e não notificados e por mais de meio milhão de homicídios anuais. Não se chega a esses números sem deixar verdadeira multidão de criminosos liberados para ações repetitivas, não raro após audiências de custódia nas quais tudo recomenda conceder a preventiva. Mas a conveniência da sociedade, vulnerável e indefesa, nada pode contra os inalienáveis direitos dos criminosos.

O professor foi atacado com silenciosas armas brancas, que não fazem alarde, não acionam a polícia e não despertam nenhuma câmera de celular. E dão prova de que o desarmamento da população ordeira pressupõe uma tolice: a de que os crimes são cometidos pelas armas e não por quem tem a intenção de usá-las para o mal.

Deixe um Comentário!