Matérias em Destaque

Juízes federais enodoados como facínoras Juízes federais enodoados como facínoras   Péricles Capanema   O PT lançou a campanha “Cadê a prova?”. Que prove do próprio veneno, faço a mesma pergunta tendo como objeto...

Leia mais...

Por que se celebra a noite de Natal com a “Missa... “Missa do Galo” é o nome da celebração litúrgica da meia-noite, na véspera do Natal. A expressão vem da tradição segundo a qual à meia-noite do dia 24 de dezembro um galo cantou mais fortemente...

Leia mais...

Derrubada a liminar contra portaria 28 do COLOG Pela Legitima Defesa em Foco Cel. Paes de Lira comenta Publicada em 22 de dezembro de 2017 Derrubada liminar contra Portaria 28 COLOG. Informativo da Câmara trata da questão das armas https://www.youtube.com/watch?v=K1CBV39vDe4&feature=em-uploademail

Leia mais...

Senado: Comissão de Constituição e Justiça propõe... PLD em Foco Coronel Paes de Lira comenta Pela Legítima Defesa - Publicado em 15 de dezembro de 2017 Uma boa notícia: a CCJ propõe a revogação do Estatuto do Desarmamento, mas outros Projetos...

Leia mais...

Alguns pensam que a lei 13497 será aplicada com razoabilidade,... PLD em Foco Coronel Paes de Lira comenta Pela Legitima Defesa Publicado em 23 de nov de 2017 Não se iludam. Pela simples posse de um cartucho calibre 22, um cidadão foi preso e seu recurso...

Leia mais...

  • Anterior
  • Proximo

Juízes federais enodoados como facínoras

Publicado em: 12-01-2018 | Por: bidueira | Em: CHAVES, PT, SITUAÇÃO NACIONAL

0

Juízes federais enodoados como facínoras

 

Péricles Capanema

 

O PT lançou a campanha “Cadê a prova?”. Que prove do próprio veneno, faço a mesma pergunta tendo como objeto o manifesto “Eleição sem Lula é fraude” lançado em 19 de dezembro último, que está sendo largamente difundido ▬ adesões, nem tanto, até agora menos de 200 mil, apesar da propaganda maciça e facilidade de firmá-lo. Conta com assinaturas de políticos, celebridades, empresários, entre eles, José Mujica, Cristina Kirchner, Rafael Correa, Chico Buarque, Celso Amorim, Fábio Konder Comparato, Noam Chomsky, Luís Carlos Bresser Pereira e vai por aí afora. Em resumo, o texto é uma vergonha de português, lógica e probidade.

 

A frase inicial é uma tolice palmar: “A tentativa de marcar em tempo recorde”. Ninguém tentou nada. Houve, isso sim, decisão pública, o julgamento está marcado para 24 de janeiro, começará às 8h30 na sala de sessão da 8ª Turma, na sede do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), em Porto Alegre.

 

Logo a seguir, mentira deslavada, “em tempo recorde”. Vai contra os fatos. A defesa do ex-presidente Lula peticionou ao TRF-4 levantando a suspeita de que era inusitada a pressa com que foi marcado o julgamento do recurso. A resposta da Corte, pelo seu presidente, 113 páginas, esfarinha a alegação de pressa indevida (está na rede). O manifesto das esquerdas mundiais (vamos batizá-lo assim) por probidade deveria quando menos aludir ao mencionado texto. Nem uma palavra. Et pour cause.

 

Segundo o desembargado Thompson Flores, “o requerente, em síntese, questiona a celeridade impingida ao processamento”. Destaco alguns trechos da peça: “Destarte, o tempo de processamento da Apelação Criminal nº 5046512-94.2016.4.04.7000 perante esta Corte não fere o princípio da isonomia. Como já referido, 1.326 apelações criminais foram julgadas por este tribunal no ano de 2017 em tempo inferior àquele em que se realizará o julgamento da Apelação Criminal”. Afirma ainda que se, por acaso, tivesse havido celeridade inusual, atenderia a diretriz do Conselho Nacional de Justiça. Seria portanto ato de obediência e disciplina: “A Meta 4 do CNJ diz in verbis: Priorizar o julgamento dos processos relativos à corrupção e à improbidade administrativa”.

 

Ainda a respeito, a resposta transcreve parte da situação atestada em inspeção recente do Conselho Nacional de Justiça no gabinete do desembargador João Pedro Gebran Neto: “Observa-se que tanto os processos antigos quanto os mais recentes estão sendo devida e diligentemente julgados”. De outro modo, a celeridade, comprovada em inspeção oficial, é característica do gabinete que vai julgar a apelação apresentada pelos advogados de Lula. E conclui o desembargador: “A celeridade no processamento dos recursos criminais neste Tribunal Regional Federal constitui a regra e não a exceção”.

 

Retorno ao manifesto de português primário, lógica estropiada, carente de escrúpulos: “A tentativa de marcar em tempo recorde para o dia 24 se janeiro a data [quis dizer, para 24 de janeiro o julgamento] em segunda instância do processo de Lula nada tem de legalidade [quis dizer, nada tem de legal]. Ou seja, o documento garante sem nenhuma prova, sequer o mais tênue indício, que o TRF-4 agiu fora da lei.

 

Continua o tal manifesto: “Trata-se de um puro ato de perseguição da liderança política mais popular do país”. Puro ato de perseguição, a saber, sem nenhuma base jurídica. Retorna a acusação gravíssima, o juiz Sérgio Moro e os desembargadores do TRF-4 são marionetes a serviço de uma força aqui inominada que persegue Lula. De novo, cadê a prova? Cadê o mais tênue indício?

 

O texto continua desembestado em português pavoroso e na mesma falta de escrúpulos: “O recurso de recorrer ao expediente espúrio de intervir no processo eleitoral sucede porque o golpe do Impeachment de Dilma não gerou um regime político de estabilidade conservadora por longos anos”. Vejam bem, lançar mão de expediente espúrio no caso equivale a determinar a condenação no julgamento do recurso. Onde fica a probidade dos magistrados, pintados aqui como paus-mandados para qualquer tarefa suja? Cadê a prova?

 

Agora, olhar rápido na redação, deixo de lado muita coisa, o português está no mesmo nível da decência do texto. “O recurso sucede”; “a trama de impedir a candidatura de Lula vale tudo”. “A trama vale tudo”, vale até redação de chorar. E nessa trama, o manifesto não diz desse modo por não conseguir exprimir com clareza ▬ atrapalhado pelo primarismo boçal da redação ▬ mas quis dizer, “[vale a] condenação no tribunal de Porto Alegre”. De novo, o insulto, o TRF-4 retratado como marionete de trama ignóbil. Quem maneja a trama tem os juízes na mão. Eles fariam, por dinheiro, ou pelo que seja, o que lhes for ordenado.

 

Para vergonha dos brasileiros que prestam, acusação desse naipe, infelizmente avalizada por figuras em destaque no Brasil e no Exterior, reverbera com maior facilidade nas redes sociais, nas conversas, na imprensa tradicional, enfim em todos os lugares. Trabalha a favor de generalizado enxovalhamento do Judiciário.

 

O mesmo: “Mais que um problema tático ou eleitoral, vitória ou derrota, nossa luta terá consequências estratégicas e de longo prazo”. “Mais que um problema nossa luta terá consequências”. Entendeu alguma coisa? Nada, claro. Não é para entender, a redação é disparatada de alto a baixo.

 

A peça demagógica e delirantemente acusatória só não tem provas e português minimamente apresentável. Aliás, vou ser modesto. Já me contentaria com indícios, mesmo os mais tênues. Cadê o mais tênue dos indícios do que acusa copiosamente?

Por que se celebra a noite de Natal com a “Missa do Galo”?

Publicado em: 24-12-2017 | Por: bidueira | Em: CONTOS DE NATAL, Costumes, Família, Festas religiosas, Nova et Vetera, Tradições

0

“Missa do Galo” é o nome da celebração litúrgica da meia-noite, na véspera do Natal. A expressão vem da tradição segundo a qual à meia-noite do dia 24 de dezembro um galo cantou mais fortemente que qualquer outro de seus semelhantes, anunciando o nascimento do Menino Jesus.

Assim como o galo anuncia o nascer do sol e seu canto preludia o amanhecer, assim também a “Missa do Galo” comemora e canta o nascimento de Jesus, o Sol nascente que, clareando a escuridão do pecado, veio nos remir.

Galo no alto da torre da Catedral de São Vito, em Praga

O galo foi escolhido como símbolo desta celebração porque ele representa, histórica e tradicionalmente, a vigilância, a fidelidade e a fé proclamada no auge das trevas.

Por isso podemos ver, no topo do campanário das igrejas, um galo proclamando para todos os quadrantes que Jesus nasceu.

A celebração é feita à meia-noite porque o nascimento ocorreu por volta dessa hora. A “Missa do Galo” foi celebrada pela primeira vez no século V pelo Papa Xisto III na então nova basílica de Santa Maria Maior, onde são hoje veneradas as relíquias do Santo Presépio, conservadas em artístico e alusivo relicário. Leia mais…

http://www.abim.inf.br/por-que-se-celebra-a-noite-de-natal-com-a-missa-do-galo/#.Wj-rQtWnGzc

NUMA IDA À PADARIA, QUATRO BANDIDOS, MUITAS FACADAS

Publicado em: 23-12-2017 | Por: bidueira | Em: Desarmamento, PLD em Foco, PT, Segurança Pública, SITUAÇÃO NACIONAL

0

NUMA IDA À PADARIA, QUATRO BANDIDOS, MUITAS FACADAS

por Percival Puggina. Artigo publicado em 14.12.2017

Embrenhou-se na selva porto-alegrense para a arrojada tarefa de comprar pão na padaria da esquina. Saiu desarmado, como manda a imprudente lei. E não voltou para casa. O professor foi dali para o hospital, com múltiplas facadas desferidas, simultaneamente, por quatro homicidas que fugiram levando algum troco e um celular. Desde sábado está entre a vida e a morte.

Não preciso da investigação para saber que as quatro bestas humanas têm uma ficha criminal mais comprida do que a tolerância da legislação brasileira. Ninguém ingressa no banditismo atacando um idoso a facadas em rua central da cidade. Não, esses monstros receberam da lei penal, do sistema penitenciário, dos “direitos humanos”, dos filósofos e dos aplicadores do garantismo penal, dos partidos de esquerda adversários declarados da atividade policial, todo o tempo e toda a indulgência necessários para se desenvolverem em suas carreiras. São apenas quatro entre centenas de milhares que respondem por milhões de furtos e roubos, notificados e não notificados e por mais de meio milhão de homicídios anuais. Não se chega a esses números sem deixar verdadeira multidão de criminosos liberados para ações repetitivas, não raro após audiências de custódia nas quais tudo recomenda conceder a preventiva. Mas a conveniência da sociedade, vulnerável e indefesa, nada pode contra os inalienáveis direitos dos criminosos.

O professor foi atacado com silenciosas armas brancas, que não fazem alarde, não acionam a polícia e não despertam nenhuma câmera de celular. E dão prova de que o desarmamento da população ordeira pressupõe uma tolice: a de que os crimes são cometidos pelas armas e não por quem tem a intenção de usá-las para o mal.

Derrubada a liminar contra portaria 28 do COLOG

Publicado em: 22-12-2017 | Por: bidueira | Em: Desarmamento, DIREITO DE PROPRIEDADE, PLD em Foco, PT, Segurança Pública, SITUAÇÃO NACIONAL

0

Pela Legitima Defesa em Foco

Cel. Paes de Lira comenta

Publicada em 22 de dezembro de 2017

Derrubada liminar contra Portaria 28 COLOG. Informativo da Câmara trata da questão das armas

Senado: Comissão de Constituição e Justiça propõe ao Executivo revogação do estatuto do desarmamento

Publicado em: 16-12-2017 | Por: bidueira | Em: Desarmamento, PLD em Foco, Segurança Pública, SITUAÇÃO NACIONAL

0

PLD em Foco

Coronel Paes de Lira comenta

Pela Legítima Defesa – Publicado em 15 de dezembro de 2017

Uma boa notícia: a CCJ propõe a revogação do Estatuto do Desarmamento, mas outros Projetos são aprovados em sentido contrário em comissões do Senado

Alguns pensam que a lei 13497 será aplicada com razoabilidade, mas um exemplo real suscita dúvida

Publicado em: 26-11-2017 | Por: bidueira | Em: Desarmamento, DIREITO DE PROPRIEDADE, PLD em Foco, Segurança Pública, SITUAÇÃO NACIONAL

0

PLD em Foco

Coronel Paes de Lira comenta

Publicado em 23 de nov de 2017

PL do Senado 378/2017: boa iniciativa. E felicitações a um bravo brasileiro que soube defender-se.

Publicado em: 16-11-2017 | Por: bidueira | Em: Desarmamento, DIREITO DE PROPRIEDADE, PLD em Foco, Segurança Pública, SITUAÇÃO NACIONAL

0

PLD em Foco

Coronel Paes de Lira comenta

Publicado em 16 de nov de 2017

Caso Sutherland Springs confirma tese da legítima defesa: cidadão armado obstou massacre mais grave.

Publicado em: 12-11-2017 | Por: bidueira | Em: Costumes, Desarmamento, PLD em Foco, Segurança Pública

0

PLD em Foco

Cel. Paes de Lira comenta

Publicado em 9 de nov de 2017

Caso Sutherland Springs confirma tese da legítima defesa: cidadão armado obstou massacre mais grave.

INSCRITO 8,7 MIL
Mais um “serial killer”nos EUA. Este levou a pior porque um vizinho à igreja onde houve o massacre, siu em socorro das vítimas e enfrentou o bandido.

Governo deveria se preocupar mais com o combate ao tráfico de drogas do que com desarmamento

Publicado em: 12-11-2017 | Por: bidueira | Em: Comissão da Verdade, Costumes, Desarmamento, DIREITO DE PROPRIEDADE, Família, PLD em Foco, PT, Segurança Pública, SITUAÇÃO NACIONAL, Terrorismo

0

Governo deveria se preocupar mais com o combate ao tráfico de drogas do que com desarmamento

Irapuan Costa Junior

Não há prova alguma de que desarmar a população reduz a violência. A principal batalha tem de ser o desarmamento dos criminosos

https://docs.google.com/document/d/1b1rp-TDg0pFWmhkRhAezLGD723nkxazym0eJIAG-9Wg/edit#heading=h.gjdgxs

O “giro luterano” do Papa Francisco

Publicado em: 12-11-2017 | Por: bidueira | Em: Costumes, Esquerda católica, Festas religiosas, Francisco, Política Internacional, Tradições

0

O “giro luterano” do Papa Francisco

Posted: 11 Nov 2017 05:31 PM PST

Em 31 de outubro de 2016 o Papa Bergoglio inaugurava o ano de Lutero, reunindo-se com representantes do luteranismo mundial na catedral sueca de Lund [foto acima]. A partir de então, reuniões e…