Matérias em Destaque

O Vulto Total da Revolução “Novo dicionário do Itamaraty” incomoda a esquerda: caem aborto e “Ideologia de gênero”, retornam os Valores Morais  Marcos Machado  12 de julho de 2019  A esquerda midiática,...

Leia mais...

Tribunais colombianos tiram a máscara e proclamam... Tribunais colombianos tiram a máscara e proclamam a impunidade das FARC Na Colômbia, tribunais proclamam a impunidade das FARC e zombam do povo colombiano. Catolicismo reproduz sobre esses fatos sem...

Leia mais...

Por que a China esconde? Há 30 anos, chacina de milhares de estudantes na Praça Tianenmen Por León de La Torre      3 de junho de 2019 Na primavera de 1989, Jian Liu era um estudante de 20 anos, em Pequim. Fotografou...

Leia mais...

Finalmente editado, o decreto regulamentador do Estatuto... PLD em Foco Coronel Paes de Lira comenta Finalmente editado, o decreto regulamentador do Estatuto do Desarmamento é bom e pode melhorar https://www.youtube.com/watch?v=ysedgYDpg8Y&feature=push-sd&attr_tag=0ZCupDyFDnF_zbCs%3A6

Leia mais...

Brava mulher comerciante reage a roubo à bala e põe... PLD em Foco Coronel Paes de Lira comenta Brava mulher comerciante reage a roubo à bala e põe ladrão armado fora de ação https://www.youtube.com/watch?v=qsxLKqPGf Errata: O Cel. Paes de Lira...

Leia mais...

  • Anterior
  • Proximo

FRANCISCO, MÉXICO E CUBA: dois pesos e duas medidas

Publicado em: 21-02-2016 | Por: bidueira | Em: Esquerda católica, Política Internacional, Terrorismo

0

Agência Boa Imprensa

 FRANCISCO, MÉXICO E CUBA: dois pesos e duas medidas

Gonzalo Guimaraens – Destaque Internacional (*)

1. O Papa Francisco, em suas viagens a Cuba (setembro/2015 e fevereiro/ 2016), e na realizada ao México (também neste mesmo mês), parece ter empregado dois pesos e duas medidas para avaliar as situações políticas, religiosas e sociais nos dois países. [à esq. em Cuba com o ditador Raul Castro; à dir. no México com o presidente Enrique Peña Nieto].

2. A respeito, é suficiente comparar, ainda que brevemente, suas atitudes nos quatro seguintes níveis: ante os respectivos líderes políticos e religiosos, os trabalhadores e os prisioneiros.

* Com os ditadores cubanos, o Pontífice manteve as maiores amabilidades e fez os maiores elogios, como foi analisado em vários editoriais de “Destaque Internacional” — que podem ser lidos no sitewww.cubdest.org. Com os líderes políticos mexicanos, no entanto, manifestou frieza e censura, direta ou indiretamente. Em seu último discurso no México, ele chegou a se referir a Nínive, “uma grande cidade que estava se autodestruindo, fruto da opressão e da degradação, da violência e da injustiça.”Por mais que esses adjetivos possam ser aplicados a aspectos importantes da vida da sociedade mexicana, esse país pelo menos possui um sistema democrático, onde se respeita a propriedade privada e a livre iniciativa, a liberdade de expressão, a liberdade religiosa, a liberdade de circulação etc. Em Cuba, pelo contrário, a autodestruição, a opressão, a violência e a injustiça que havia em Nínive, são intrínsecas a uma sociedade comunista; e não existe nenhuma das liberdades mencionadas que vigoram no México, porque se encarregou de sufocá-las um poder central omnímodo a serviço de uma ideologia intrinsecamente perversa. Leia mais

http://www.abim.inf.br/francisco-mexico-e-cuba-dois-pesos-e-duas-medidas/#.VspgXZwrJ1s

Deixe um Comentário!