Matérias em Destaque

Vale, privatização de mentirinha Vale, privatização de mentirinha Péricles Capanema Sublinhada pelo encontro dos corpos soterrados na lama e pelo escoar lento do Paraopeba tóxico, a tragédia em Brumadinho lembra doloridamente...

Leia mais...

Presidente Bolsonaro baixa decreto, mas frustra as... PLD em Foco Coronel Paes de Lira comenta Presidente Bolsonaro baixa decreto, mas frustra as expectativas dos que lutam pela legítima defesa https://www.youtube.com/watch?v=RnrifTCQFC8&feature=push-u-sub&attr_tag=8G5gNv-qGpTLnIQX%3A6

Leia mais...

Futuro secretário nacional de segurança, Gen Theophilo:... PLD em Foco Coronel Paes de Lira comenta Futuro secretário nacional de segurança, Gen Theophilo: contra o porte de armas por pessoas comuns https://www.youtube.com/watch?v=94QwCOiXjZ0&feature=em-uploademail

Leia mais...

EM DESMANCHE Artigo do jornalista J.R. Guzzo, publicado na revista  VEJA, com o título EM DESMANCHE Circulou no noticiário um pensamento muito interessante que o novo presidente, Jair Bolsonaro, expressou durante...

Leia mais...

Autor do PDS(SF) 175/2017, retira projeto e acerta. PLD em Foco Coronel Paes de Lira comenta Autor do PDS(SF) 175/2017, retira projeto e acerta. Diretor-Geral da PF impõe ato normativo e erra https://www.youtube.com/watch?v=4qVAX0Cgg4k&feature=em-uploademail

Leia mais...

  • Anterior
  • Proximo

Inversão de valores, canalhice, incoerência ou tudo isso?

Publicado em: 30-04-2017 | Por: bidueira | Em: PT, Segurança Pública, SITUAÇÃO NACIONAL, Terrorismo

0

Inversão de valores, canalhice, incoerência ou tudo isso?
 
Caros amigos
 
Chama a atenção, até dos mais alienados, os absurdos que temos assistido nos últimos dias.
 
Começamos pelo fato de que o “produto” mais raro e procurado no Brasil, particularmente por um contingente de 14 milhões de pessoas, é o “emprego”. No entanto, os sindicatos e centrais sindicais, em um momento em que a oferta é de mão de obra, impedem os que ainda estão empregados de ir para o trabalho e, para isso, fazem baderna, vandalismo, agridem trabalhadores e policiais, põem fogo nas ruas e incendeiam ônibus! Como qualificar essa atitude? Inversão de valores, canalhice, incoerência ou tudo isso?
 
Na mesma toada, sem considerar as consequências à Segurança Pública e à Defesa do Estado, vem a “Lei da Imigração”, abrindo as fronteiras para uma multidão de estrangeiros de todas as origens, estranhos aos nossos costumes e crenças, que aqui chegarão atraídos pela mesma falsidade dos direitos impossíveis prometidos pelo governo de um país quebrado e empenhado em “controle de gastos”. Ninguém tem dúvida de que essa abertura aumentará, de imediato, as despesas públicas e a multidão dos sem trabalho, multiplicando os já graves problemas nacionais!
 
Paralelamente, no Congresso, transformado em “Sindicato de Ladrões” e posto a nu pela operação Lava jato, discute-se leis, propostas e recursos de auto proteção, como “lista fechada”, “abuso de autoridade” e “foro privilegiado”, tudo às escâncaras e ao arrepio da lógica, da legitimidade e da vontade nacional.
 
Neste curso, vêm à tona também outros antigos absurdos dos nossos maus costumes, como a idolatria a bandidos tipo Virgulino Lampião e Lula da Silva, este último, responsável maior pelo roubo generalizado aos cofres públicos e que levou o País à bancarrota e milhões de brasileiros ao desemprego. Mesmo desmascarado e em vias de ir para a cadeia, Lula ainda consegue mobilizar milhares de “viúvas desavergonhadas” que alimentam a esperança de voltar a usufruir das sobras do butim e que se propõem a votar mais uma vez no ladrão!
 
Encerro esta lista, sem a mínima pretensão de esgota-la, com mais uma obra do nosso emérito Ministro Gilmar Mendes, para quem os crimes do empresário Eike Batista – que envolvem a soma de 52 milhões de Reais, apenas com o comparsa Sérgio Cabral -, devido a um “lapso temporal considerável” e à não adoção de “ulterior conduta para encobrir provas”, não são motivos suficientes para mantê-lo preso, ou seja, corrupção e lavagem de dinheiro, por si só, não servem de fundamento para mantê-lo na prisão, donde, olhando para os “presos comuns”, recolhidos às imundas e superlotadas prisões brasileiras, podemos concluir que se ele tivesse roubado uma galinha não teria direito à soltura!
 
Só resta repetir a pergunta: Inversão de valores, canalhice, incoerência ou tudo isso?
 
Gen Bda Paulo Chagas

Deixe um Comentário!