Matérias em Destaque

Juízes federais enodoados como facínoras Juízes federais enodoados como facínoras   Péricles Capanema   O PT lançou a campanha “Cadê a prova?”. Que prove do próprio veneno, faço a mesma pergunta tendo como objeto...

Leia mais...

Por que se celebra a noite de Natal com a “Missa... “Missa do Galo” é o nome da celebração litúrgica da meia-noite, na véspera do Natal. A expressão vem da tradição segundo a qual à meia-noite do dia 24 de dezembro um galo cantou mais fortemente...

Leia mais...

Derrubada a liminar contra portaria 28 do COLOG Pela Legitima Defesa em Foco Cel. Paes de Lira comenta Publicada em 22 de dezembro de 2017 Derrubada liminar contra Portaria 28 COLOG. Informativo da Câmara trata da questão das armas https://www.youtube.com/watch?v=K1CBV39vDe4&feature=em-uploademail

Leia mais...

Senado: Comissão de Constituição e Justiça propõe... PLD em Foco Coronel Paes de Lira comenta Pela Legítima Defesa - Publicado em 15 de dezembro de 2017 Uma boa notícia: a CCJ propõe a revogação do Estatuto do Desarmamento, mas outros Projetos...

Leia mais...

Alguns pensam que a lei 13497 será aplicada com razoabilidade,... PLD em Foco Coronel Paes de Lira comenta Pela Legitima Defesa Publicado em 23 de nov de 2017 Não se iludam. Pela simples posse de um cartucho calibre 22, um cidadão foi preso e seu recurso...

Leia mais...

  • Anterior
  • Proximo

5 fatos que pedem inquéritos da Procuradoria-Geral da República

Publicado em: 09-07-2017 | Por: bidueira | Em: CHAVES, DIREITO DE PROPRIEDADE, Esquerda católica, Política Internacional, PT, SITUAÇÃO NACIONAL, Terrorismo

0

Por Irapuan Costa Junior

Edição 2191

A ideologia é mais destrutiva do que a corrupção, mas os procuradores federais fazem vistas grossas para o descalabro dos “investimentos” no PT na Bolívia e em Cuba

Lula da Silva e Evo Morales: o brasileiro patrocinou os negócios da Bolívia

1 — Em 1º de maio de 2006, logo após tomar posse como presidente da Bolívia, Evo Morales ocupou, com tropas do Exército, as instalações da Petrobrás no país, e anunciou sua desapropriação. Desapropriação foi apenas um eufemismo usado por Evo Morales, pois o que ocorreu foi mesmo um confisco.

A Petrobrás, que havia investido cerca de 1,5 bilhão de dólares na Bolívia recebeu, a título de indenização, fixada unilateralmente pelo governo boliviano, menos de 10 por cento desse valor. Para que o leitor avalie a importância do patrimônio do povo brasileiro no país vizinho, e que nos foi roubado, a Petrobrás respondia por 18% do PIB boliviano, e recolhia cerca de um quarto do total de impostos arrecadados pelo governo local. Leia mais

Deixe um Comentário!